Informação sobre vitiligo, causas, sintomas e tratamento do vitiligo, identificando o seu diagnóstico e fornecendo informação importante sobre esta patologia, com dicas que possam permitir a cada pessoa minimizar o impacto psicológico do vitiligo.


Vitiligo e os fatores genéticos

Segundo Nath et al., aproximadamente 20% dos pacientes com vitiligo têm pelo menos um parente de primeiro grau com a doença. O vitiligo é herdado geneticamente em um padrão não-mendeliano e caracteriza-se pela heterogeneidade genética, penetrância incompleta e suscetibilidade de alterações em múltiplos loci. Essa herança pode envolver genes associados com biossíntese de melanina, resposta ao estresse oxidativo e regulação da autoimunidade.


O gene associado a vitiligo

O gene catalase tem sido implicado na patogênese do vitiligo. A mais provável alteração seria o polimorfismo de nucleotídeo único no exon 9 do gene da catalase. Atividade reduzida da enzima foi demonstrada na epiderme de pacientes acometidos tanto em áreas lesionais quanto em áreas de pele normal. Catalase é uma enzima peroxisomal encontrada em quase todos os organismos. Quando exposta ao oxigênio, catalisa a decomposição do peróxido de hidrogênio à água e ao oxigênio, prevenindo o dano celular por radicais de oxigênio altamente reativos.
Outros genes têm sido sugeridos como mediadores para maior susceptibilidade ao vitiligo: regulador autoimune.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL